• TATA LUIS

PEQUENO ENSAIO SOBRE A DOENÇA



“Tua fé te curou!”

Jesus

"Doença - do latim dolentia de dolens = dor, portanto indica perturbação em que há dor, corresponde à palavra grega algos, que nos legou algia = dor".

FRASES PARA REFLEXÃO:

  • “Ninguém tem nem mais e nem menos do que merece”

  • “Karma é o mesmo que Ação ou Reação”

  • “Seja qual for a doença, a causa é uma só: uma ação foi praticada e a gerou”

  • “Temos a ilusão de que não somos culpados da nossa doença. Mas é só ilusão”

  • “Só há duas maneiras de resgatar ações erradas: são elas a DOR e o TRABALHO”

  • “Doença não é castigo; é tão somente oportunidade de regeneração”

O QUE É A DOENÇA: A doença nada mais é que o resultado de alguma ação anterior, tenha sido ela realizada em passado breve ou remoto. Sendo conseqüência dessa ação, a doença tem por objetivo alcançar a consciência e fazê-la progredir.

Em outras palavras, “doença” é o instrumento que o “EU Superior” (ou Atma, ou Centelha Divina, etc) encontra para alertar que alguma coisa está ou esteve caminhando errada, seja devido a atitudes físicas, emocionais, mentais ou a mais de uma dessas combinadas. Podemos dizer, então, que a doença é o instrumento necessário para guiar novamente a pessoa ao seu ponto de equilíbrio, isso porque só há duas maneiras de resgatar ações erradas: são elas a DOR e o TRABALHO. Se a pessoa não opta pelo trabalho, o “EU Superior” concede a DOR como atalho à regeneração.

COMO ACONTECE A DOENÇA: Como já dito, toda doença começa com alguma ação, pensamento ou emoção em desajuste que, após ter ocorrido, desencadeia reações nos corpos energéticos, percorrendo o agregado setenário humano e descarregando energias nocivas no corpo físico, as quais entram em choque com as energias vitais e deixam o organismo vulnerável à enfermidade.

Enfermidades congênitas / hereditárias: As ações geradoras aconteceram em encarnações passadas, e as energias nocivas (reações dessas ações) atingem o embrião ou mesmo o espermatozóide e o óvulo que formarão o novo corpo físico (ex: deficiências, doenças auto-imunes, etc).

Enfermidades comuns: As ações geradoras podem ter acontecido em passado remoto ou não, e as energias nocivas atingem o corpo físico em determinado momento da atual encarnação, desencadeando problemas orgânicos sem origem genética (ex: inflamações, dores localizadas, hemorragias, etc).

Enfermidades contraídas: As ações geradoras assemelham-se às das enfermidades comuns, porém o choque das energias nocivas com as energias vitais desestabilizam e enfraquecem a resistência do organismo, deixando-o propício à contrair parasitas, vírus e bactérias (doenças contagiosas, infecções, etc).

Enfermidades provocadas: As ações geradoras assemelham-se às das enfermidades comuns, e as energias nocivas causam acidentes, ataques externos e outras ações que prejudicam o corpo físico (ex: acidente de automóvel que atinja o organismo físico, tentativa de assassinato que machuque o corpo, etc).

COMO AS ENERGIAS NOCIVAS ATUAM NO CORPO FÍSICO: Descendo através dos corpos energéticos, as energias nocivas atingem o penúltimo corpo antes do corpo físico, que é o duplo-etérico. Neste corpo estão situados os centros de energia, ou os chakras, que têm a função de absorver e transmitir energias. O combustível que faz os chackras funcionarem é a energia vital, justamente o tipo de energia que é atacada pelas energias nocivas geradas pelas atitudes emocionais ou mentais negativas. Uma vez em contato com essas energias, o a energia vital do duplo-etérico entra em choque, e um ou mais chakras deixam de funcionar bem, dificultando o fluxo energético em determinado órgão ou região do corpo, predispondo-o à falência e à doença.

COMO TERMINA A DOENÇA: Se a doença ocorre como instrumento do “EU superior” para o reequilíbrio da consciência, então a doença somente termina quando esta, a consciência, tiver encontrado o devido reajuste e retornado à sua própria linha de equilíbrio.

Sendo assim, para que haja qualquer cura, são necessários dois pontos fundamentais:

  • Que a consciência aprenda o que deve aprender com aquela situação;

  • Que as energias vitais sejam restabelecidas e voltem a fluir em abundância pelo duplo-etérico e pelo corpo físico.

COMO ESTIMULAR A CONSCIÊNCIA: Muitas vezes, a pessoa doente não tem ciência de sua falha consciencial; não se acha faltosa e nem merecedora da doença que tem. Acontece que uma simples observação sobre seus pensamentos, sentimentos e ações é capaz de revelar pontos de desajuste consciencial, que são contrários às leis de amor que regem o Universo e que, portanto, geram as energias nocivas que lhes envenenam e causam enfermidades.

Alguns poucos exemplos de ações contrárias à Lei de Amor, colhidos nos Evangelhos:

- Não resistência ao mal; - Provocação de escândalos; - Não amar os inimigos, - Não se preservar da avareza; - Viver em cólera contra os irmãos; - Não confiar no Pai e na sua justiça; - Ansiar em tomar sempre o primeiro lugar; - Atirar a primeira pedra mesmo tendo erros; - Julgar e condenar os outros sem misericórdia; - Viver inquieto com o presente e com o amanhã; - Fazer o bem com ostentação;

- Cometer adultérios; - Não valorizar a simplicidade e a pureza no coração; - Deixar sair pela boca coisas más contidas no coração; - Afadigar-se pela posse do ouro, da prata e das moedas; - Recusar-se a perdoar e a reconciliar com os adversários; - Esquecer a humildade;

- Relutar em não servir ao próximo; - Não tratar os semelhantes como gostaria de ser tratado; - Não fazer o bem aos que o odeiam e nem orar pelos que o perseguem e o caluniam.

COMO RESTABELECER A ENERGIA VITAL: Há duas formas de se restabelecer a energia vital: atuando diretamente no corpo físico e atuando no duplo-etérico.

  • Atuação no corpo físico: Para atuar no corpo físico, são necessários elementos físicos, como remédios, cirurgias, transplantes, e tratamentos médicos. É importante que tais elementos sejam receitados e aplicados por quem detenha conhecimento sobre os mesmos. O paciente, por sua vez, deve cumprir a sua parte, fazendo o que lhe cabe, como dietas, disciplina física, resguardos, etc.

  • Atuação no duplo-etérico: Para atuar em corpo de energia, são necessários elementos fluídicos, como passes, cirurgias espirituais, transportes energéticos e tratamentos invisíveis. É importante que tais elementos sejam receitados e aplicados por quem detenha conhecimento sobre os mesmos. O paciente, por sua vez, deve cumprir a sua parte, fazendo o que lhe cabe, estimulando a sua receptividade para as energias aplicadas. A sua receptividade será tanto maior quanto maior for a sua confiança e fé. “Tua fé te curou”, disse Jesus.

Logo, NÃO HÁ CURA SEM A PARTICIPAÇÃO ATIVA DO PACIENTE.

NOSSA COLABORAÇÃO NO PROCESSO DE CURA: Podemos auxiliar no processo de cura de duas formas: estimulando a consciência do indivíduo através de palestras, conselhos e exemplos; e auxiliando no restabelecimento da energia vital atuando sobre o duplo-etérico. A atuação direta sobre o corpo físico nós deixamos para os médicos, que são habilitados a receitar remédios e a realizar cirurgias físicas.

COMO PODEMOS ATUAR SOBRE O DUPLO-ETÉRICO: Há várias terapias espirituais que podemos utilizar. Dentre elas:

  • Terapia do abraço;

  • Cromoterapia;

  • Passes mediúnicos, anímicos e mistos;

  • Cirurgia espiritual;

  • Irradiação espiritual;

  • Apometria;

  • Outros.

CONSIDERAÇÕES FINAIS: Antes de ser um estado orgânico, a doença é um estado de espírito, e assim devemos entendê-la. Por isso, aos médicos, o cuidado com o corpo; e à espiritualidade, o cuidado com as energias. Além disso, ao paciente é quem cabe a maior responsabilidade sobre o seu estado de saúde e sua possível cura. É preciso que melhore consciencialmente e vibre de forma mais positiva, com fé e amor em cada atitude, e todo o Universo conspirará a seu favor e o encaminhará para a cura, já que ele estará, de forma consciente, trocando a DOR pelo TRABALHO.

#doença #doente #cura #saúde #Texto #enfermidade

75 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.