• TATA LUIS

ALVORADA EM HOMENAGEM A OGUM


As comemorações em homenagem a OGUM começaram na CCU à meia-noite do dia 23 de abril, quando a casa entrou em silêncio, preparando-se para a "RONDA" ou mentalização sobre o Orixá Guerreiro.

Às cinco da manhã, com os médiuns já devidamente preparados e uniformizados, iniciou-se a recitação de preces e Orikis de Ogum, referindo-se ao seu caráter guerreiro, seu arquétipo, suas lendas, qualidades, etc. A cada trecho lido, como parte do ritual, seguiram-se alguns minutos para reflexão sobre as palavras ditas e a invocação de um diferente falangeiro desse Orixá na Umbanda, como Ogum Beira-Mar, Megê, Sete Espadas, Rompe-Mato, etc. No total, vinte e um nomes diferentes foram citados, solicitando a presença e a proteção desses falangeiros sobre os presentes.

O ponto alto e mais esperado aconteceu às seis horas da manhã, com o toque do clarim anunciando a alvorada, seguido de grande queima de fogos, rufar de atabaques e, como não podia deixar de ser, da incorporação de todos os falangeiros de Ogum nos médiuns da casa.

Por quase uma hora os falangeiros do Orixá Guerreiro dançaram, vibraram e irradiaram sobre o ambiente e os presentes. Ao final, com cada um segurando sua espada, descarregaram de cargas negativas, um a um, todos os que vieram confraternizar em seu dia.

Foi uma festa bonita e abençoada, que emocionou e deixou todo mundo vibrando, leve e feliz!

Saravá OGUM!

Salve o Vencedor de Demandas!

PATAKORI OGUM!

#Ogum #Alvorada

996 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.