• Eduardo Torres e Tata Luis

O “CRER” E O “CAFÉ COM AXÉ”


Já há alguns meses, A CENTELHA DIVINA, através da ação da Casa do Caboclo Ubirajara, criou o “CRER” (Comitê para Representação em Eventos Religiosos), um grupo formado por membros voluntários cuja missão é representar o Templo, seus membros e sua Direção em eventos que envolvam temas relevantes à Umbanda, participando, trocando informações, expondo nosso posicionamento perante questões importantes e, também, trazendo para o nosso conhecimento atualizações do que acontece no meio espiritualista e sugestões de soluções adotadas em outros templos para problemas em comum.

Nesse sentido, vários tipos de eventos estarão, de agora em diante, na mira da agenda do CRER, como encontros, debates, manifestações religiosas, festivais, etc. E, se depender de empolgação, A CENTELHA DIVINA estará muito bem representada em cada um deles:

“- Estou super feliz, empolgado e radiante com a atividade do CRER. Acho fundamental tudo isso; fundamental que a nossa religião seja exemplo de união!”, disse Pai Rafael, o pai pequeno da CCU.

Na opinião de Solange, outra voluntária do grupo, essa união é “SHOW!”. E completa: “- Essa integração, estarmos juntos, é como darmos as mãos em prol da nossa religião. Vamos aprender mais e seremos mais unidos! Tudo de bom!”.

Aliás, integração e união fazem parte da visão de todos os envolvidos nas atividades do CRER. “- Sempre fui muito interessado nesse intercâmbio de conhecimentos com outros templos”, disse Eduardo, resumindo em poucas palavras os objetivos do grupo.

Embora a CCU já tenha participado de eventos públicos, como o festival “Atabaque de Ouro” realizado no ano passado, será a partir de agora que estará mais presente em eventos religiosos. E o primeiro encontro de 2017 já aconteceu, com a participação do CRER no primeiro “Café com Axé” do ano.

“CAFÉ COM AXÉ”

Como nos conta o membro do CRER Eduardo Torres, “A Casa do Caboclo Ubirajara fez em 12 de fevereiro de 2017, às 9h30, a sua segunda participação externa junto à comunidade umbandista. Representada pelo CRER e seus membros, o templo participou do evento “Café com Axé”, idealizado pelo MIRUA (Movimento Intra-Religioso de União Afro), na União Espiritista de Umbanda do Brasil - Casa Máter da Umbanda do Brasil - que foi fundada no ano de 1932 por determinação do Caboclo das Sete Encruzilhadas. Atualmente, há 32 templos que utilizam este espaço para seus encontros espirituais.

O mediador do debate, Pai Luis Fernando, dirigente da Templo Estrela do Oriente, iniciou a palestra explanando sobre a pluralidade e diversidade dentro da Umbanda, porém salientou a necessidade de se haver responsabilidade ambiental em toda e qualquer prática umbandista, a fim de promover a sustentabilidade e a preservação do templo maior de todo umbandista: a NATUREZA. O “compromisso religioso” também foi assunto tratado durante a reunião, pois somente com comprometimento conseguiremos o bem comum de desenvolver a nossa Umbanda de forma harmoniosa e profícua. Todos têm a obrigação de sustentar as nossas tradições e ancestralidade.

Para todas essas questões e muitas outras, houve a formação de um Grupo de Trabalho para criação e análise de um Código de Ética (”conjunto de leis”) comum a todos os templos filiados (signatários), com o objetivo de nortear as ações de dirigentes e membros dessas casas, responsabilizando-os e criando uma norma de conduta a ser seguida. É importante ressaltar que tal código não interferirá nas tradições, nos ritos, ou nos costumes de cada casa.

O encontro findou-se às 12h00 com uma grande corrente de oração, pedindo o auxílio do Astral para que esse importante intento seja alcançado em prol da nossa Umbanda.”

Como participante do evento, a CCU recebeu uma cópia da proposta de escopo do Código de Ética, que terá ainda que ser avaliada e aperfeiçoada até o prazo máximo de 26 de novembro de 2017, quando deverá ser elaborado o documento final. Para participar da comissão que elaborará o Código de Ética, nossa casa indicou Nícolas Barros, integrante do CRER e também do Departamento Jurídico da CENTELHA, para acompanhar o trabalho e contribuir com nossas opiniões e sugestões, tendo sido, dessa forma, registrado na ata da reunião.

De acordo com a descrição formalizada por Adiléa Monteiro, membro do CRER, e que também acompanhou essa edição do Café com Axé, “a criação do Código de Ética não visa julgar o rito de cada casa, mas sim a postura do ser humano e a postura dos centros em relação ao planeta”. E exemplificou: “há trabalhos realizados na mata, sem que haja limpeza posteriormente...”. E, nessa linha de raciocínio, ainda lembrou: “-Ficou esclarecido que a adesão (ao Código de Ética) é espontânea, mas quem fizer parte terá que seguir o regime, podendo inclusive, pagar multas caso descumpra o acordado no código”.

A experiência de participar pela primeira vez de um encontro entre templos para discutir temas relevantes à Umbanda foi extremamente gratificante! “- O encontro foi muito interessante... Super democrático, onde todos deixaram suas opiniões e ideias, inclusive nossa irmã Adiléa”, contou Wânia, integrante do CRER, referindo-se à outra irmã do grupo.

Mas, como ela, todos os membros do CRER terão ainda muitas outras oportunidades de se manifestarem, afinal, já estão agendadas todas as edições do “Café com Axé” até o final do ano, com a observação de que SEREMOS NÓS A ORGANIZAR A EDIÇÃO DE SETEMBRO!!! Sim! Imbuídos desse espírito colaborador, o CRER assumiu para si a responsabilidade de providenciar todo o material necessário para a realização do encontro, justamente no mês do aniversário de nossa casa. “- É para comemorar!”, disse o Tata.

Dessa forma, veja abaixo a programação e os temas a serem discutidos em cada encontro desse ano:

E, para finalizar, não há nada capaz de expressar melhor o sentimento de satisfação e de “ser útil à Umbanda”, experimentado por todos os integrantes do CRER durante o encontro do dia 12, que as palavras finais de Roberta Oliveira, ao resumir tudo com a frase: “- De alma e corpo... AMEI!”

VEJA ABAIXO A GALERIA DE FOTOS DO PRIMEIRO "CAFÉ COM AXÉ" DE 2017

#CafécomAxé #Umbanda #CRER #CódigodeÉtica

162 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.