• Eduardo Torres

2º CAFÉ COM AXÉ - 12/03/2017


No 2º encontro “Café com Axé” de 2017, o mediador Pai Luis Fernando (Templo Estrela do Oriente) apresentou o tema a ser discutido - o texto da Carta Magna de Umbanda -, passando a palavra ao Pai Ortiz, idealizador e autor do projeto. O sacerdote ressaltou o foco principal do documento para Umbanda, que é a SOCIEDADE ou, melhor dizendo, o "olhar das pessoas para o povo do Axé" e, além disso, a necessidade de a Umbanda, como religião, ter o seu próprio posicionamento diante dos grandes questionamentos da sociedade, como aborto, pedofilia, maus tratos, violência, preconceito étnico, orientação sexual, identidade de gênero, doação de órgãos, entre outros.

O grande desafio do "projeto Carta Magna" é definir um posicionamento claro da religião sobre essas questões, embora haja divergências de visões dentro da própria Umbanda.

Houve sugestões para que se reformulasse o texto da Carta, uma vez que, a começar pelo título “Carta Magna da Umbanda”, já se pressupõe ser um documento voltado somente para religião de UMBANDA e seus seguidores, quando, na verdade, o interesse é abraçar e abranger todas as religiões de matriz africana. Para isso, formou-se um grupo de trabalho, que tem a missão de elaborar um texto com todas as ressalvas necessárias para anexar ao projeto da Carta. A data prevista para a entrega desse documento é o próximo encontro “Café com Axé”, no dia 09/04 e, representando a CENTELHA, integrará o grupo de trabalho Pai Rafael, membro do nosso CRER (Comitê para Representação em Eventos Religiosos) e da Pai Pequeno CCU.

Na opinião de Pai Rafael, "a união dos terreiros e casas de axé fará a nossa força contra a minoria preconceituosa e contaminada com o vício da discriminação. Nosso povo precisa de consciência, a sociedade precisa estar mais politizada e cada um de nós deve atuar como elemento multiplicador das boas ideias e das posturas que vão garantir a sobrevivência da nossa cultura." E completou: "Nós temos que exemplificar e lutar, estudar e ensinar, trabalhar e celebrar o nosso valor. A onda negativa do fundamentalismo religioso não vai nos derrubar, desde que estejamos unidos e atuantes!" A reunião findou-se com um pedido de união para o trabalho aos membros do “Café” e uma oração final foi feita pelo Pai Ortiz, pedindo luz, caminho e orientação aos amparadores espirituais.

#CafécomAxé #umbanda #CartaMagna

99 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.