• Tata Luis

E NÃO É QUE ERA MESMO?


Findo o primeiro trimestre de 2017, já podemos fazer um pequeno balanço desse início de ano e traçar prognósticos para o restante.

Finalizamos o ano de 2016 já alertando para a regência do ano que se seguia, indicando Xapanã como o grande regente do ano, auxiliado por Iansã no primeiro semestre e por Ewá no segundo. Apesar de nossa posição ser diferente da maioria – e as razões estarem muito bem explicadas neste TEXTO – temos consciência de que tudo seria muito mais fácil se realmente a regência de 2017 fosse compartilhada por Oxum e Oxóssi (como a maioria afirmava) ou por Oxalá (segundo outras correntes).

No entanto, como mostram os fatos atuais, o ano regido por Saturno e por Xapanã (Omolu, Obaluaiê) tem apresentado características nítidas de sua regência, já nesses três primeiros meses. Em nosso texto supracitado, alertávamos sobre a possibilidade de doenças e a necessidade de atenção maior à saúde. E, não por coincidência, temos enfrentado situações críticas e não corriqueiras, como o MAIOR SURTO de febre amarela da história do Brasil, segundo dados do próprio Ministério da Saúde. Como se não bastasse, doenças de que pouco ouvíamos falar voltam às manchetes. No Rio de Janeiro, a Vigilância Sanitária alerta para a EPIDEMIA de Esporotricose, doença que afeta animais, principalmente gatos, mas que é transmissível a humanos, provocando lesões profundas na pele, semelhantes à leishmaniose. Até mesmo a malária, cuja média de infecção é de sete (07) casos por ano, somente nesse primeiro trimestre já ultrapassou 20 notificações no estado do Rio de Janeiro, de acordo com a Secretaria de Saúde, havendo também surtos ocorridos no Paraná, Minas Gerais e Tocantins. Enfim, tudo isso é “Xapanã puro”! "Na veia"!

Outro setor em que a atuação de Xapanã fica bastante evidente é a econômica. Por isso, alertávamos em nosso texto sobre a necessidade de vigilância sobre as economias, pois a coisa iria ficar ainda mais complicada. E, infelizmente, não estávamos errados! Segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho), em 2017 haverá mais 1,2 milhões de desempregados no país, de forma que a cada 3 desempregados no MUNDO, um será brasileiro. E isso já se confirma pelas taxas alcançadas no primeiro trimestre, beirando os 13% dos trabalhadores. Em outras palavras, é como se toda a população do estado de São Paulo estivesse sem trabalho. Nesse sentido, concordamos que teria sido muito melhor se a regência do ano tivesse sido de Oxóssi, o Orixá da fartura, que não deixa faltar o alimento à mesa. Talvez, nesse momento, houvesse maiores oportunidades para todos...

Além da regência dos Orixás, os anos também são regidos por um elemento da natureza e, no caso de 2017 - como anunciamos - pelo FOGO. Anos regidos por esse elemento costumam ser mais agitados e violentos que os demais. Para se ter ideia, os atentados de 11 de setembro aconteceram em 2001, ano regido pelo fogo.

No primeiro trimestre de 2017 já tivemos alguns exemplos de violência fora do comum. Em janeiro, internos de várias penitenciárias entraram em rebelião, resultando em centenas de mortes, e de forma bastante violenta e cruel (com decapitações, inclusive). No mês seguinte, o horror não ficou recluso, mas estendeu-se às ruas com a paralisação das atividades de várias corporações de Polícia Militar, gerando insegurança, assaltos, saques à luz do dia e aumento expressivo dos índices de criminalidade, criando pânico nas ruas do Espírito Santo, Bahia e Pernambuco e tensão em outras metrópoles como Rio de Janeiro. Infelizmente, a tendência internacional também não é das melhores, já tendo sido registrados atentados terroristas em Quebec, Mali, Paquistão, Istambul e, o mais recente em Westminster, Inglaterra, em um espaço de apenas três meses. Nesses momentos, também gostaríamos que a regência do ano fosse de Oxum, para que ela pudesse espalhar mais amor e cordialidade. Mas, diferente disso, a Orixá que auxilia Xapanã nesse primeiro semestre é Iansã, de caráter muito menos gentil e mais passional, voluptuosa, impulsiva e violenta...

No entanto, apesar das dificuldades econômicas, políticas e sociais deste início de ano, conforme informamos, a expectativa é que as coisas comecem a melhorar a partir do segundo semestre, com a entrada de Ewá na regência. Em nosso texto dissemos assim:

“Com tanta carga vibratória no ambiente, causada pelas transformações trazidas por Xapanã, pelos conflitos causados pelas “mortes” de sistemas estabelecidos e pela atuação dos Eguns deixando a atmosfera psíquica do planeta mais densa, o equilíbrio tinha que vir de algum lugar, e ele vem de Ewá! Ewá é a Orixá do encanto (em muito se assemelha à Oxum), da inspiração, das artes e também aquela que “engana a morte” e comanda os Eguns... Ewá vem, portanto, trazendo a inspiração para solucionar os problemas mais difíceis, mas exige que haja a ligação com a espiritualidade e, ao mesmo tempo, o desenvolvimento da consciência, para que possa auxiliar. Ela facilita a intuição e é a responsável pelas ideias que, aparentemente, surgem “do nada”.”

Espera-se, portanto para a segunda metade de 2017 uma certa dose de criatividade estimulada por Ewá e que deve facilitar as transações econômicas e a geração de empregos, bem como certo controle sobre as epidemias ora em curso e uma possível diminuição das cargas vibratórias que tem tornado a atmosfera psíquica do planeta mais densa. Mas é preciso que façamos nossa parte, gerando forças positivas que confrontem as negativas, com cordialidade, amor e gentileza, nos ligando também à espiritualidade em busca de força e equilíbrio.

O ano está apenas começando. Terminamos somente o primeiro trimestre, mas já é possível aprender algumas lições com as experiências vividas e programar ações para o restante do ano, já sabendo as tendências naturais impressas pela regência dos Orixás Xapanã, Iansã e Ewá.

Como dissemos em nosso texto anterior, essa regência não é comum, e prevê um ano de dificuldades, principalmente na sua primeira metade, mas que tem tudo para terminar melhor do que começou. Portanto, você que esperava um ano com fartura e amor, mas que ainda está desempregado, não perca as esperanças! É possível que as oportunidades voltem logo a aparecer! Você que passa por dificuldades diversas, tenha certeza de que tudo vai melhorar! E, já que estamos todos no mesmo barco chamado “2017” e não tem como mudar, não vamos desistir! Vamos em frente, encarando os desafios que o ano nos oferece, com determinação e criatividade! Vamos aprender o que tiver que ser aprendido! E, ao término, lá em dezembro, olharemos para trás, veremos quantos obstáculos foram superados, quantas coisas conseguimos vencer e o quanto estaremos saindo mais fortalecidos. E, ao lembrarmos de Xapanã como o grande regente desse ano, é possível que pensemos: “e não é que era mesmo?”.

#Xapanã #regentedoano #Orixá

479 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.