• Tata Luis

ALEGRIA, ALEGRIA! ARRAIÁ 2017 DA CCU


Aconteceu no domingo, 20 de agosto de 2017, o ARRAIÁ DA CCU, evento tão aguardado pela família e pelos amigos da Casa do Caboclo Ubirajara.

Marcado para ter início às 13h30, pouco antes já havia convidados chegando. Ninguém queria perder nada da festa! Mas, apesar da expectativa, os primeiros momentos foram um pouco tensos: convidados a postos, banda CantoCRU preparada, comidas prontas para serem servidas, equipamento do DJ instalado e... FALTOU LUZ! Sim, foram quarenta minutos de apreensão. Nesse tempo, valeu tudo: orações, torcidas, ligações para a Light... Mas no fim tudo deu certo! A luz voltou e a festa – que mal tinha iniciado – pôde recomeçar com força total!

E foi assim mesmo! Durante toda a tarde e até as 22h00, o que não faltou foi energia! Impulsionados pela banda CantoCRU, os presentes sambaram, forrozaram, cantaram quase que o tempo todo, só parando mesmo para descansar, visitar as barraquinhas ou participar dos bingos beneficentes promovidos pela casa.

Aliás, por falar em campanhas beneficentes, foi anunciado durante a festa o LANÇAMENTO OFICIAL DA CAMPANHA DO METRO, que visa arrecadar a verba suficiente para a aquisição de um sítio, onde será construído o SANTUÁRIO UMBANDISTA “A CENTELHA DIVINA”. A campanha visa adquirir através de doações, os valores correspondentes a cada metro quadrado do imóvel. “- Temos o sonho de conseguir comprar um local, um sítio, onde possamos realizar nossas festas espirituais e também outras - como esse arraiá - junto à natureza, com a fogueira acesa... e todos estarão convidados!”, disse o Tata Luis no momento do anúncio, e continuou: “- Algumas pessoas de nossa casa já sabiam previamente dessa campanha, e já conseguimos juntar cerca de R$ 1800,00; mas acabo de receber em mãos a doação de um terreiro-irmão de nossa casa, o GERA, Grupo Espiritualista Razão e Amor, no valor de R$ 600,00, para contribuir com nossa campanha!”. E, chamando à frente a dirigente do GERA, Mãe Paula, agradeceu publicamente pelo belo gesto, sendo acompanhado pelos aplausos de agradecimento de todos os presentes.

Lançada a campanha, enquanto a banda CantoCru dava continuidade ao forró, o Tata e a Diretora-Secretária da CCU, Bruna, foram de mesa em mesa arrecadando os valores doados pelos convidados presentes. E, a cada doação, retribuíam com um metro de fita verde, representado – simbolicamente – o metro quadrado que o doador estaria comprando em nome da casa. Um bonito simbolismo!

(SE VOCÊ QUISER SABER MAIS E COLABORAR COM A “CAMPANHA DO METRO”, CLIQUE AQUI!)

Após o recolhimento das doações, a festa continuou “a mil”. Houve até o “momento emoção”, quando uma das convidadas, nonagenária, pediu licença, tomou o microfone e soltou a bela voz, cantando “Sei Lá Mangueira”, clássico de Hermínio Bello de Carvalho e Paulinho da Viola, gravado por ícones como Elizeth Cardoso, Caetano Veloso e o próprio Paulinho. A plateia veio abaixo, e a energia da senhora contagiou ainda mais a todos. Não é exagero dizer que houve lágrimas de emoção!

Por fim, após duas rodadas de bingo e uma quadrilha improvisada – com direito a noiva e tudo -, o cansaço acabou vencendo... Afinal já se completavam mais de oito horas de festa, e ninguém é de ferro, ainda mais tendo que acordar cedo e trabalhar no dia seguinte...

A partir daí, os amigos foram se despedindo e o salão do Clube Lígia foi, aos poucos, voltando a ser uma quadra de futebol.

O Arraiá 2017 terminou, cada um para as suas casas... Mas a empolgação ainda permaneceu apesar do cansaço físico. Tanto que, nos grupos de whatsapp da CCU, nas horas seguintes e até de madrugada, não se falava outra coisa, e a pergunta repetida era: “- quando será o próximo evento, mesmo?”

Veja a seguir as fotos do Arraiá 2017, desde o “making off” até o final da festa.

#arraiá #festajunina

103 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.