• Tata Luis

CARGAS ENERGÉTICAS E ASSÉDIOS ESPIRITUAIS


É possível que, ao entrar para o terreiro, alguém tenha lhe dito que parte do mal-estar que você sentia era devido a companhias espirituais desagradáveis, a cargas energéticas ou que em sua casa haveria espíritos perturbadores e eguns, e que, através do trabalho mediúnico, aos poucos, seus próprios Guias iriam lhe ajudando a se equilibrar e diminuindo a atuação desses assédios espirituais. Mas, se você entendesse como os assédios espirituais funcionam, você entenderia também como acabar com eles – ou com a maior parte deles -, e não precisaria terceirizar para o seu Caboclo, Preto-Velho ou Exu uma ação libertadora que você mesmo poderia realizar em função do seu próprio bem-estar. E não seria bem melhor assim? Aliás, essa seria até a atitude mais correta, já que não foram os seus Guias os responsáveis por atrair aquele tipo de companhia ou energia para você, mas sim, o seu próprio modo de pensar, seus vícios e paixões. E, como diz o ditado, “quem pariu Mateus que o embale...”.

Pois bem, vamos, então, explicar sobre como acontecem os assédios, sobre como um espírito consegue interferir sobre os seus pensamentos, causar-lhe mal-estar, agir sobre a sua vida e atrapalhar a rotina da sua casa; e também, sobre como se libertar e como não ser vítima de outros assédios futuros. Não vamos tratar de banhos, rezas, passes, uso de elementos ou qualquer outra ferramenta - que também são muito úteis nesses casos e podem ajudar nas situações mais difíceis -; mas vamos falar da fonte de tudo, de como tudo se processa, pois, sabendo como a coisa funciona, entende-se também como fazê-la NÃO FUNCIONAR! Simples assim!

Para começar, é bom lembrarmos que qualquer assédio espiritual, para acontecer, depende de três coisas:

  1. Tipo de espírito que se atrai;

  2. Grau da sintonia construída entre o encarnado e o espírito;

  3. Atuação do espírito sobre o encarnado.

1 - Tipo de Espírito que se atrai:

“As moscas não são atraídas pelas flores, e as abelhas não procuram o lixo!”. Assim também funciona a atração ou repulsão que os espíritos têm por nós. Atraímo-nos mutuamente pelo teor dos nossos pensamentos e sentimentos. Nosso mal humor, rancor, egoísmo, paixões e falhas conscienciais atraem para nossa companhia espíritos exatamente iguais, mais interessados no seu próprio bem estar do que no dos outros; e que, por isso, não se incomodam em perturbar, assediar e prejudicar alguém, contanto que essa pessoa lhe seja útil, cedendo os fluidos de que precisa e usando-a como meio de consumo de álcool, cigarro e outras coisas mais. Em contrapartida, pessoas interessadas no bem, que procuram ser mais racionais, que lutam contra suas más tendências e que se preocupam com a felicidade e com o bem-estar do próximo atraem para si companhias mais conscientes, e que, ao estarem próximas, tentarão lhes auxiliar, trazendo equilíbrio e progresso consciencial.

Em suma, ninguém é vítima de ter este ou aquele tipo de espírito em seu encalço! Se há obsessão, tanto o espírito quanto o encarnado têm responsabilidade sobre a situação. Ambos se atraem; ambos se buscam e se completam, pela similaridade do que pensam e sentem. Não havendo essa similaridade com os pensamentos e sentimentos de espíritos assediadores, então não haverá assédio.

2 - Grau da sintonia construída entre o espírito e o encarnado:

Quanto maior for o grau de sintonia entre a pessoa e o espírito, maior será o seu poder de atuação. O grau de sintonia é um fator proporcional à constância e intensidade com que determinados pensamentos e sentimentos ocorrem. Uma pessoa que, na maioria das vezes, esforça-se por agir com consciência, regulando seus instintos e procurando desenvolver uma visão mais amorosa, ainda que, eventualmente, experimente momentos de ira, tristeza e mágoa, não terá com espíritos negativos o mesmo grau de sintonia que outra que passe a maior parte do tempo vivenciando esses sentimentos negativos ou alimentando vícios como álcool, fumo e outros.

Ninguém precisa ser perfeito; mesmo porquê, se fôssemos perfeitos não necessitaríamos estar aqui, encarnados. Mas é importante que, pelo menos, façamos força em deixar para trás nossas más tendências. Só por fazermos esse esforço, já saímos da faixa de sintonia de uma grande quantidade de espíritos assediadores. E, saindo dessa faixa ou diminuindo o grau de sintonia, dificultamos ou mesmo impedimos os assédios espirituais.

3 – Atuação do espírito sobre o encarnado:

Pelo que já expusemos, sabendo observar os dois itens já citados, não haveria qualquer tipo de assédio espiritual. Mas é bom sabermos como os espíritos fazem para - uma vez tendo sido atraídos e tendo construído sintonia com o encarnado - iniciarem o assédio e interferirem sobre os seus pensamentos e seu bem-estar. Sabendo disso, fica mais fácil impedir sua atuação.

Vamos começar com uma pequena comparação: O que você faria se o seu vizinho lhe telefonasse e, autoritariamente, ordenasse que você, a partir daquele momento, o obedecesse cegamente? Creio que a sua resposta seria algo como: “eu só faço o que eu quiser!”. E se o seu vizinho insistisse, duas, dez, cem vezes, todos os dias, telefonando várias vezes por dia (pior que empresa de cobrança)? Não tenho dúvidas de que a sua insatisfação iria ser ainda maior e você tomaria alguma providência, até mesmo procurando o vizinho chato para colocar os devidos pingos nos is. Saiba, então, que da mesma forma que você não é obrigado a atender à insistência do seu vizinho, você também não é obrigado a aceitar o assédio espiritual. O processo das ligações repetidas se assemelha muito ao processo de assédio de um espírito, com a diferença que o vizinho você enxerga, e o espírito não.

Esclarecendo essa analogia, o “vizinho” do exemplo - aquele que passou a ter condições de te localizar facilmente pelo número do seu celular, em qualquer momento e em qualquer lugar - seria comparado ao espírito que você atraiu para si. O número do celular seria comparado à sintonia dos pensamentos e sentimentos entre vocês dois - condição que você mesmo criou e que facilita a comunicação entre ambos. Criar sintonia vibratória com um espírito é, portanto, o mesmo que fornecer o seu número de telefone para alguém. É preciso selecionar os contatos. Caso contrário, depois não adianta reclamar das ligações que receber.

Mas, mesmo tendo passado o número para alguém, não há, ainda, o recurso de, em qualquer momento, bloquear aquele chamador? Espiritualmente isso também é possível, embora o bloqueio não seja feito de forma tão simples como no celular. Para que ele ocorra, é preciso MODIFICAR A SINTONIA mental e emocional, de forma que quando o espírito tentar te acessar, não o encontre, e tenha a mesma impressão que temos quando ligamos para alguém e escutamos algo como “assinante não localizado”. Mas, para modificar a sintonia, desfazendo as condições que permitem o contato, o esforço tem que ser grande, dependendo da própria pessoa querer ou não.

Contudo, mesmo enquanto a pessoa não souber utilizar o recurso do bloqueio de chamadas, não é obrigada a atender as ligações. Ela poderá simplesmente ignorá-las. Espiritualmente, isso também é verdadeiro. Mesmo que você não consiga, ainda, modificar os seus pensamentos e sentimentos, alterando a sua sintonia, você NÃO TEM a obrigação de atender ao assédio espiritual. VOCÊ O ACEITA SOMENTE SE QUISER! Isso pode parecer estranho, mas é assim mesmo! Mesmo que haja um espírito mal-intencionado e exista sintonia entre vocês, você ainda pode REJEITAR o seu comando mental, como a pessoa que, mesmo não tendo bloqueado o número do chamador, desliga o celular a cada vez que recebe determinada ligação. Fazendo assim, nenhum espírito indesejado consegue completar a chamada e, não havendo assédio, não pode mais interferir sobre seus pensamentos, sobre sua vida e causar-lhe mal-estar. Mas vamos explicar como isso pode acontecer:

Os espíritos não têm corpo físico. Eles estão em uma dimensão onde tudo é atuado somente pela força mental, já que no mundo espiritual – onde vivem - não existe matéria. Já aqui, no mundo material, quando necessitamos realizar alguma coisa, precisamos atuar com uma FORÇA FÍSICA. Por exemplo: precisamos de um martelo para quebrar uma parede, e a força colocada sobre ele tem que ser maior que a força de resistência dos tijolos. Se for menor, nada acontecerá. Lá na dimensão espiritual, acontece o mesmo; só que lá, forças físicas ou materiais não têm o menor sentido; simplesmente não existem! Tudo o que existe é MENTE e criações da MENTE. Logo, as forças capazes de produzir qualquer resultado ou efeito – bom ou mau – não são físicas, mas puramente FORÇAS MENTAIS! Por isso, o espírito que quer atuar sobre um encarnado, só pode atuar através de conexões mentais, através das quais ele irradia suas ideias e seus interesses à mente da pessoa, e esta, sendo mais ou menos receptiva, será mais ou menos atuada pelo pensamento dele. Mas, da mesma forma que uma força material pode agir sobre outra força material, uma força mental pode interromper outra força mental. Esse é o segredo!

Sendo assim, quando há um assédio espiritual, na verdade o que está acontecendo é somente a atuação de uma mente dominante sobre outra dominada, onde a dominante normalmente é a do espírito, e a dominada a do encarnado. E sabe por quê? Simplesmente porque a maior parte dos encarnados DEIXA que isso aconteça. Afinal, a única coisa que diferencia os espíritos desencarnados dos encarnados é a ausência de um corpo físico. Não há diferenças nas mentes. Elas são IGUAIZINHAS! E a força mental independe de se estar vivo ou morto! O que faz uma mente ser mais forte que outra é somente seu grau de tenacidade, confiança em si e persistência nas idealizações. A maior parte de nós, inclusive - tanto encarnados quanto desencarnados - possui força mental em nível semelhante e, por isso, havendo a tentativa de assédio, qualquer um teria condições de lutar em pé de igualdade e de resistir, já que o assédio nada mais é que um “cabo-de-guerra mental”.

Só que há um problema que acontece com a maior parte das pessoas, que é entregar-se à ação espiritual, como se não pudesse fazer nada contra ela e não lhe restasse outra alternativa a não ser sofrer passivamente sua atuação. Ora, repito: a sua mente e a do espírito são exatamente iguais; ele só pode atuar sobre você forçando a mente dele sobre a sua, mas você tem toda condição de gerar força mental igual ou superior a dele! Para não ser atuado, basta, portanto, que você DETERMINE PARA SI MESMO, que nenhuma força mental externa irá vencer a SUA própria VONTADE; que VOCÊ é quem MANDA EM SI MESMO; que você NÃO ACEITA palpite e nem interferência de ninguém em sua vida! Determine tudo isso com confiança e sem hesitação, da mesma forma que você faria para o seu vizinho insistente! Tenha certeza disso! Use a sua força mental! Não duvide de sua capacidade! Aliás, já reparou que pessoas descrentes de qualquer coisa espiritual oferecem maior resistência à absorção de cargas mentais? Já reparou também que, pessoas que frequentam religiões que estimulam que elas DETERMINEM para si a libertação de ações espirituais negativas e que tenham FÉ que nada as poderá atingir, costumam também ser mais resistentes aos assédios? Pois é! Esse exercício nada mais faz que fortalecer a confiança e, em outras palavras as próprias forças mentais.

Mas, não é comum encontrar espiritualistas que costumem usar a própria mente para autodefesa energética e psíquica, justamente por terem desenvolvido o hábito de terceirizar a solução dos seus problemas espirituais. Por isso, quando estão próximos a uma pessoa assediada, não usam sua mente como escudo, não lutam e facilmente aceitam as vibrações irradiadas da mente do espírito que a obsidia, e ficam passando mal; ao entrarem em um ambiente carregado, aceitam sem resistência as ações mentais propagadas ali, e também saem se sentindo mal; quando percebem a entrada de espíritos perturbadores na sua casa, simplesmente aceitam suas pressões mentais, e, novamente, passam mal; e, depois de tudo isso, correm para o terreiro para pedir que o seu dirigente ou seus Guias resolvam aquele problema, que ele mesmo teria todas as condições de resolver, se não fosse tão passivo, se tivesse um pouco mais de vontade e determinasse para si mesmo que NÃO ACEITA aquela situação, com verdade, com confiança! Aliás, você sabe como que seus Guias descarregam você de cargas negativas e afastam o assédio espiritual? Usando a mesma força que você e os assediadores têm: a MENTE. Somente isso! Não há outra forma, já que no mundo espiritual, TUDO é resultado de ação mental.

Ok! Entendemos que, quando você entrou para o terreiro, você não sabia que seria capaz de, somente pela sua determinação, afastar a maior parte das atuações espirituais negativas e que, por isso, suas defesas foram terceirizadas, passando a ser realizadas pela mente dos seus Guias. Sabemos, também que, infelizmente, há terreiros que não estimulam a autodefesa psíquica, que preferem ser acionados em qualquer caso de mal-estar ou de perturbação espiritual, mantendo o médium dependente da casa e fazendo-o achar-se incapaz de resolver – por si só - vários de seus problemas espirituais. E, cá entre nós, há pessoas que mesmo sabendo que poderiam resolver seus problemas, preferem que esse trabalho continue terceirizado aos seus Guias, ao Dirigente ou ao terreiro, que é muito mais fácil e não exige esforço. Mas isso não é o ideal! Todos nós temos que progredir! Não podemos estacionar, deixando que outros façam por nós, indefinidamente, coisas que NÓS poderíamos facilmente fazer. É claro que, encontrando alguma resistência, uma mente assediadora um pouco mais forte, não só podemos, como DEVEMOS solicitar o auxílio dos nossos amparadores; mas não sem antes termos tentado resolver por nós mesmos!

Ao enfrentar um assédio espiritual, lembre-se que não há diferenças entre você e o assediador. Se você pode dizer “não” ao seu vizinho chato, você também pode dizer “não” a qualquer espírito, pois tudo se resume a uma guerra de vontades, onde vencerá a mente mais decidida, mais insistente! E a sua só perderá a guerra SE VOCÊ QUISER! Determine a sua completa libertação e você será liberto! Acredite! Queira! Não duvide! A sua mente pode TUDO no mundo espiritual, e não há porque evitar usá-la. Ela é sua, está à sua disposição; e o seu uso é de graça!

Amplexos,

Tata Luis

#cargaenergética #assédioespiritual #descarrego #negatividade #egun #energiasruins

1,490 visualizações

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.