SESSÕES MEDIÚNICAS

       As sessões mediúnicas ou "giras" da CENTELHA ocorrem, temporariamente, apenas nas dependências da Casa do Caboclo Ubirajara, às terças, quartas e quintas-feiras, das 19h30 às 22h00,  e sábados das 15h00 às 17h30, sempre de acordo com o planejado na programação anual.

       Há quatro tipos de sessões na CENTELHA: de desenvolvimento, de festa, de Capacitação e de Limpeza e Canalização. As giras de desenvolvimento não são públicas, pois servem para que os médiuns aprendam a se sintonizar com as vibrações de seus Guias e a desenvolver suas capacidades mediúnicas. Também não são públicas as sessões de Limpeza e Canalização, que servem para promover a limpeza vibratória dos membros trabalhadores da casa e a canalização de vibrações positivas. As sessões de capacitação também não comportam assistência, tendo por objetivo o aprendizado e o estudo interno. Já as sessões de festa são abertas ao público, mas, para assisti-las, é necessário agendar sua presença previamente na Secretaria da CENTELHA. 

 

      Participam dos quatro tipos de sessões acima descritas os chamados "Membros de Trabalho" (médiuns, curimbeiros e cambonos).

 

QUERO SER MEMBRO DE TRABALHO DE UM TEMPLO DE "A CENTELHA DIVINA"

 

        As portas da CENTELHA estão sempre abertas para atender a quem precise e para acolher novos membros de trabalho (médiuns, curimbeiros e cambonos). Caso seja esse o seu interesse, sugerimos que, em primeiro lugar, procure conhecer um pouco melhor o templo e suas atividades, assistindo sessões de festa ou  participando das sessões de atendimento público.

 

          Podem pertencer ao quadro de Membros de Trabalho da CENTELHA pessoas acima de 14 anos de idade e, caso sejam menores de 18, somente com a autorização expressa dos pais. Além disso, para ser Membro de Trabalho da CENTELHA, é necessário que o candidato tenha realizado com aproveitamento o Curso de Integração (um dos cursos ministrados periodicamente na instituição e, como todos os outros, inteiramente gratuito) e que haja vaga para a função desejada no núcleo que deseja frequentar. A limitação de vagas está condicionada à limitação do espaço físico, e pode variar de núcleo para núcleo.

 

          Para obtenção de informações e orientações, procure a secretaria da Casa do Caboclo Ubirajara.


 

VOLTA AO TOPO

 

O DESENVOLVIMENTO MEDIÚNICO

 

            
          Durante o desenvolvimento mediúnico, o médium aprende a se sintonizar mentalmente com seus Guias espirituais, a desenvolver suas capacidades parapsíquicas e a trabalhar com energias da natureza. Durante esse período, ele também toma parte em cursos que enriquecem seu conhecimento e o preparam para novos graus dentro da corrente.


             O trabalho dos médiuns que participam das sessões mediúnicas é avaliado periodicamente e, de acordo com o resultado obtido, os médiuns são classificados em níveis de acordo com o previsto na Doutrina dos 7 Raios. Avaliações semelhantes também são realizadas com os Curimbeiros, visando sempre o contínuo aprendizado e evolução dentro dos trabalhos realizados.

 

 

          Segundo a Doutrina dos Sete Raios, todos os integrantes da CENTELHA percorrem, desde o momento de sua admissão até atingirem a posição máxima de Sacerdote, sete graus subsequentes de aprendizado e preparação mediúnica, identificados pelas sete cores do Arco-Íris.

 

          Desde o grau inicial (vermelho) até o mais adiantado (lilás), a profundidade dos conhecimentos repassados vai aumentando, bem como a intensidade da preparação espiritual da pessoa. Após atingir o último grau (lilás), há ainda um oitavo, destinado somente a Sacerdotes, e identificado com a cor branca (correspondente ao triângulo que há no centro de nosso símbolo.

 

          Uma descrição sucinta dos graus a serem percorridos é a seguinte:

 

IDENTIFICAÇÃO VERMELHA: A FORÇA

 

          O vermelho é a cor do fogo, a cor que traz movimento, impulso e iniciativa. Refere-se também às paixões, à sexualidade e às energias mais densas. Durante sua permanência nesse grau, o médium passará pelos rituais de iniciação e aprenderá a trabalhar suas emoções e autocontrole. Durante seu estágio nesse grau, deverá realizar o Curso de Umbanda (nível 1) e o Curso de Cambonagem; e realizará exercícios de capacitação voltados para o aprendizado do domínio sobre si próprio. O regente desse grau é Ogum, que abre caminhos, impulsiona e atua sobre o psiquismo e as emoções.

 

IDENTIFICAÇÃO LARANJA: A CORAGEM

 

          O laranja representa a coragem na Doutrina dos Sete Raios, mas é também a cor da paranormalidade. O médium nesse grau deverá realizar o Curso de Mediunidade e Espiritualidade e o Curso de Umbanda (nível 2), que trata especificamente do Mundo Espiritual; e realizará exercícios de capacitação que o auxiliarão a perder o medo e o receio acerca do trabalho espiritual, pois o colocarão em contato direto com as primeiras manipulações energéticas, estimulando o desenvolvimento mediúnico. Será introduzido nos primeiros trabalhos mediúnicos e aprenderá a lidar com espíritos de diversos tipos e a distinguir Espíritos da Natureza de eguns. O regente desse grau é Iansã.

 

IDENTIFICAÇÃO AMARELA: A CONSCIÊNCIA

 

          O amarelo é a cor da sabedoria e do conhecimento. Nesse grau, o médium deverá realizar o Curso de Estudo das Leis do Karma e o Curso de Umbanda (nível 3), que trata da relação entre o Mundo Espiritual e o Mundo Material. Aprenderá, detalhadamente, como acontecem os trabalhos dentro do Terreiro, qual o papel do médium e o que esperar dos Guias. Realizará exercícios de capacitação que o estimularão a aplicar o conhecimento espiritual em sua vida e, já imerso nos trabalhos mediúnicos, terá a oportunidade de aprender com os mesmos e refletir sobre seus próprios atos. O regente desse grau é o Povo do Oriente.

 

IDENTIFICAÇÃO VERDE: O AUXÍLIO

 

          O verde é a cor do auxílio e da cura. Nesse grau, o médium deverá realizar o Curso de Passes e Bioenergias e o Curso de Terapias Holísticas. Realizará exercícios de capacitação que o familiarizarão com as técnicas de cura e com os tratamentos alternativos. Aprenderá o básico da anatomia humana e conhecerá como aplicar bioenergias em tratamentos espirituais. O regente desse grau é Oxóssi.

 

IDENTIFICAÇÃO AZUL: O AMOR

 

          O azul é a cor do amor, da calma, da paciência, dos sentimentos positivos e da compreensão. Nesse grau o médium deverá realizar o Curso de Universalismo e realizará exercícios de capacitação que o estimularão ao desenvolvimento do amor Ágape e do entendimento, ampliando sua consciência. O regente desse grau é Oxum.

 

IDENTIFICAÇÃO ÍNDIGO: A CRIAÇÃO

 

          O índigo é a cor da criação, mas também é estimulante das percepções extra-sensoriais e do conhecimento sobre os diversos tipos de energias. Nesse grau o médium deverá realizar o Curso de Métodos Divinatórios. Realizará exercícios de capacitação que o embasarão para a realização de jogos e para o aumento de suas percepções, e aprenderá a trabalhar as energias de forma conjunta. O regente desse grau é Iemanjá.

 

IDENTIFICAÇÃO LILÁS: A DOAÇÃO

 

          O lilás é a cor da doação e do equilíbrio. Nesse grau o médium deverá realizar o Curso de Projeciologia e o Curso de Apometria e realizará exercícios de capacitação que o habilitarão a trabalhar anímica e mediunicamente, doando-se de forma equilibrada e com responsabilidade e segurança. Exercitará as diversas formas de trabalhar diretamente no Mundo Astral, em contato direto com os espíritos, projetado do corpo físico. Os regentes desse grau são as Almas.

 

IDENTIFICAÇÃO BRANCA: A PLENITUDE

 

          O branco é a cor da plenitude, da pureza de sentimentos, pensamentos e ações. Ao atingir esse grau, o médium poderá assumir responsabilidades de direção espiritual ou passará a desempenhar importantes papéis dentro do Templo, auxiliando no comando espiritual e na direção de trabalhos sociais. O regente desse grau é Oxalá.

 

 

          Como visto, o percurso pelos graus da Doutrina dos Sete Raios acontece por dois caminhos que devem ser percorridos de forma simultânea: o ensinamento prático/teórico e os trabalhos/rituais realizados pela pessoa e com a pessoa.

 

          Em relação ao ensinamento prático / teórico, o mesmo é repassado durante as Sessões de Capacitação, as quais tem por finalidade, justamente, como o nome já diz, CAPACITAR a pessoa a entender o que se faz dentro de um terreiro e dar-lhe o conhecimento necessário para poder utilizar, na prática, tais informações.

 

          Em relação aos trabalhos / rituais, os mesmos são realizados pelo Dirigente Espiritual (ou alguém indicado por ele) com aquela pessoa, de forma ordenada e cronologicamente definida, de forma a promover o equilíbrio energético e o seu maior preparo mediúnico / espiritual.

 

          O ideal é que, desde a sua admissão como novo membro da CENTELHA, cada pessoa percorra um grau a cada ano, demorando sete anos para ser considerado pronto. Contudo isso nem sempre será possível devido a fatores ocasionais.

 

 

 

    O comportamento dentro do templo, seja por parte dos médiuns ou da assistência, deve ser condizente com a proposta espiritual da CENTELHA, ou seja, pode-se cantar, bater palma, vibrar... Mas não é permitido o uso de roupas indecentes, conversas em voz alta, desrespeito ao ambiente, fumo dentro do salão, etc. Tudo isso para mantermos a egrégora da casa dentro dos padrões desejáveis pela cúpula espiritual e propícios às boas transmissões fluídicas.

 

 

A CENTELHA DIVINA, por ser uma Missão Umbandista e por ter como referência a prática da caridade, do amor e do respeito ao próximo, seguindo as sagradas Leis de Umbanda, não exerce cobrança financeira de qualquer tipo, por qualquer atendimento ou trabalho realizado, bem com não realiza o sacrifício de qualquer animal, nem utiliza qualquer coisa de origem animal em seus rituais.